Redes Sociais e a Comunicação Interna

Comunicação InternaAs redes sociais podem ser utilizadas de diversas formas, possuem vantagens e desvantagens que já discutimos em diversos posts aqui no blog; relacionamento, alcance, monitoramento, gerenciamento de crise, ou seja, todos relacionados à comunicação entre as organizações e o público externo. Mas e os funcionários, não usam as redes sociais? É claro que usam, e da mesma forma que um cliente pode falar da sua marca, um empregado, aquele que tem acesso a diversas informações confidenciais da empresa, também pode, o estrago poderá ser o mesmo ou até maior.

Assim como citamos no post anterior, a palavra da vez no mercado corporativo é “relacionamento” e isso vale para o ambiente interno da empresa também. Da mesma forma que clientes precisam de atenção, os funcionários também gostam de ser ouvidos, e algumas redes sociais podem ajudá-lo a criar uma rede interna de relacionamento:

Blog Corporativo – diversas organizações criam blogs para divulgar sua marca na rede, por que não criar uma página para os funcionários participarem também? Você não precisa divulgar as informações para todo mundo, basta criar um blog interno, como uma Intranet, assim, apenas pessoas da organização terão acesso. Todo chefe exige que seus empregados conheçam todos os procedimentos, leis, regras, normas, datas e reuniões que façam referência a empresa. Se você abrir um espaço no qual os próprios funcionários poderão compartilhar seus conhecimentos, com certeza será muito mais proveitoso do que fazer com eles leiam um manual que muitas vezes acabam se tornado um peso para segurar papel.

São vantagens para os dois lados, o funcionário poderá dar idéias, sugestões, compartilhar procedimentos que deram certo com ele e trabalhar mais feliz sabendo que sua organização se importa com o que ele pensa. A empresa conhecerá melhor sua equipe, poderá implantar boas idéias de quem realmente conhece o trabalho, além de contar com uma equipe mais motivada e disposta.

Ning - é uma plataforma que permite que você crie sua própria rede virtual para compartilhar vídeos, fotos e textos. A vantagem para as empresas é que essa rede pode ser privada, ou seja, você cria essa página e abre apenas para que pessoas autorizadas tenham acesso, além de poder controlar tudo o que é divulgado nela. Essa ferramenta é indicada para pequenas empresas que não disponibilizam de uma grande verba ou disponibilidade para criar uma rede interna para seus poucos funcionários.

Orkut e Facebook – que jogue a primeira pedra a empresa que não tem uma comunidade nessas redes, sempre tem algum funcionário com vontade de interagir com seus colegas de trabalho por meio desses sites. Muitas vezes, a organização nem sabe que possui essa comunidade com o nome da sua marca e esse é o grande problema. O que você prefere? Que alguém crie uma comunidade ou um grupo com o nome da sua empresa no qual todos falam o que bem entendem ou você criar essa comunidade e monitorar tudo o que é compartilhado? É claro que a segunda opção é a mais viável.

Nem preciso dizer que é importantíssimo monitorar as redes sociais, se alguém já criou essa página, não custa nada ficar de olho para ver as informações que são divulgadas lá e se não há nada que possa comprometer sua corporação. Se ninguém a criou ainda, pode certeza que isso acontecerá um dia, então por que não sair na frente e já criar uma comunidade controlada? É claro que não precisa implantar uma tirania na empresa na qual os funcionários terão medo de postar até mesmo um “Olá”, explique da melhor maneira possível que aquela é uma rede aberta, que tem certas informações que não podem ser compartilhadas, as pessoas estão ali de certa forma como representantes da companhia, tudo o que disserem pode ser levado em consideração, então é necessário sempre refletir antes de escrever: “o presidente da empresa tornaria essa informação pública ou escreveria dessa forma que estou escrevendo?”.