Tendências de Mídias Sociais para 2013

As tendências de Mídias Sociais para 20132012 foi um ano excelente para o mercado de Mídias Sociais. Os usuários, além de estarem cada vez mais presentes no Facebook, se renderam às redes de imagens como Instagram e Pinterest. E as empresas puderam perceber seu público utilizando  mais esses canais sociais, além de utilizá-los como forma de comunicação.

O ano também foi marcado pelos virais de pessoas desconhecidas se tornando web celebridades como a Luiza do Canadá, o trio do Para Nossa Alegria, Nissim Ourfali e muitos outros. Enfim, não temos mais como negar o quanto as mídias sociais estão presentes no dia a dia de usuários e empresas. Contudo, o que esperar para 2013? O que irá mudar? O que pode vir de novidade? O perfil do público poderá mudar? Ninguém melhor para responder isso do que os profissionais que estão envolvidos diariamente com as principais mídias sociais.

Confira a opinião de alguns profissionais da Big Bang sobre o que poderá ser tendência nas mídias sociais em 2013:

"Para mim 2013 será o ano das redes sociais de imagem. Instagram, Pinterest e outras redes multimídias deverão crescer cada vez mais neste ano. Por conta da imensa quantidade de conteúdo que é compartilhado nas redes sociais, criar conteúdo relevante e envolvente, principalmente visual, vai ser essencial para buscar o engajamento do usuário. Não vai mais adiantar colocar qualquer tipo de conteúdo nos canais sociais  e as marcas vão começar a usar cada vez mais as mídias sociais para produzirem e compartilharem belas fotos ou vídeos. Também acredito no crescimento do e-commerce por meio das mídias sociais. O Facebook deve melhorar cada vez mais o formato para vendas online e esse movimento de social ecommerce deve ir para outras redes."

Bibiana Riedhorst – Diretora Executiva

"Acredito que o impacto das mídias sociais ainda é grande e só tende a aumentar. A grande aposta será no conteúdo feito em imagens e que gerem, além do engajamento, uma maior identificação com o impactado. Da mesma forma, as redes sociais que continuam crescendo e outras que despontaram no mercado serão as apostas nesse meio como o Facebook e o Google+. O Youtube também possui um grande impacto pois deixou de ser apenas um canal de veiculação de vídeos para se tornar um meio onde influenciadores e formadores de opinião têm se expressado e isso se torna uma excelente ferramenta para empresas que desejam fortalecer a sua imagem e atrair novos públicos. O e-commerce tem sido uma das gratas surpresas e há espaço no Brasil para seu crescimento e com a ajuda das redes sociais e das plataformas para mobiles e smartphones, poderemos testemunhar um avanço no mundo dos negócios".

Bruno Arena – Assistente de Mídias Sociais

"O caminho é a convergência cada vez maior. Esse será um ano em que redes específicas como o LinkedIn e  Instagram serão cada vez mais consistentes, por serem redes de finalidades específicas. A imagem ainda terá bastante força junto aos conteúdos. Já os vídeo ainda sofrem dois problemas; a baixa qualidade de internet móvel que temos no Brasil e o tempo de exposição que o espectador precisa para absorver o conteúdo. Para o profissional de mídias sociais as mudanças dos palcos serão constantes. Hoje estamos nos envolvendo cada vez mais com o mobile. Eu acredito que a adequação para esse meio seja obrigatória para o conteúdo. Não há mais porque fazer um conteúdo sem pensar em todas as plataformas que ele vai transitar. A criatividade é o ponto chave. Não será diferente dos anos anteriores, mas como sempre precisamos ter ideias cada vez melhores e estudar o velho e o atual para criar o novo, há sempre essa necessidade nesse setor, a renovação quase que diária das ideias.

Se eu pudesse apostar em algo revolucionário seria a transformação do Facebook, dando a possibilidade de comprar algo pela rede. Essa mudança pode transformar todo o panorama do e-commerce e vir a dividir cada vez mais a preferência do consumidor sobre marcas e formas de compra".

Cassio Martinez – Assistente de Conteúdo

"Concordando com a Bibiana, acredito que as imagens terão ainda mais força esse ano. Imagens mais elaboradas, de fácil entendimento e que se auto explicam, sem depender, necessariamente, de um texto explicativo. O compartilhamento dessas será o objetivo, as pessoas precisarão se identificar e querer compartilhar o que elas representam. As fotos dinâmicas, como no Instagram, também serão uma ótima forma de divulgação. As pessoas gostam de ver o que acontece. E acredito que o Pinterest será utilizado com foco mais profissional, onde as pessoas/empresas postarão tendências de diversos segmentos e com fotos mais profissionais. Também acho que as campanhas online terão ferramentas novas e serão ainda mais focadas num nicho específico, o que trará um retorno mais positivo para os clientes.

Também apostaria no crescimento do acesso às mídias sociais através de dispositivos móveis, já que cada vez mais as pessoas permanecem conectadas por mais tempo em seus smartphones e tablets (tanto que a Tim deu acesso gratuito ao Facebook para quem é usuário de internet via modem). Por isso o dinamismo é importante, a troca rápida de informações, a praticidade, a objetividade".

Filipe Arantes – Webdesigner

"Acredito que 2013 será o ano da profissionalização das Mídias Sociais, as empresas percebendo os canais como essenciais e profissionais mais especializados e já com uma boa experiência no setor. Acredito que o Facebook continuará crescendo, mas talvez com um pouco menos de intensidade, como foi em 2012. A rede já enxergou seu potencial como ferramenta de publicidade e acredito que a tendência seja investir cada vez mais nisso, mais formatos de anúncios e a concorrência para “aparecer” no feed do usuário cada vez mais acirrada, obrigando os profissionais a investirem em conteúdo relevante e exclusivo. Acredito também que esse ano será forte para as redes de imagens como Pinterest e Instagram, essa primeira ainda um pouco mais exclusiva, mas crescendo, porém o Instagram se tornando mais popular e utilizado pelos mais variados públicos e pelas marcas também. Ainda aposto em um crescimento do Google+, mas sem apresentar riscos para o Facebook por enquanto.

Acho que o Twitter tende a voltar um pouco à suas origens, ou seja, apesar de diminuir o número de usuários, o pessoal que entrou para postar qualquer coisa, empresas que apostaram apenas em ofertas irão sair e ficarão apenas os usuários mais relevantes, que realmente utilizam a rede como fonte de informações. Também poderemos prestar um pouco mais de atenção no Linked in se posicionando como plataforma essencial pra negócios e carreira e nas novas redes surgindo como o Branch, por exemplo".

Laís Maciel – Gerente de Planejamento e Conteúdo

"Acredito que em 2013 a importância das redes sociais ficará ainda mais notável, muitas empresas deixarão de encará-las como um modo de divulgação e relacionamento independente, e vão começar a integrar algumas de suas estratégias online com suas estratégias offline, prática essa que já se iniciou e já está cheia de exemplos por aí. O mercado de mídias sociais também crescerá bastante, e junto a isso a competividade de profissionais e marcas que visam presença na web resultará em ótimos cases e ideias brilhantes.

Além disso, as marcas e empresas começarão a investir em novas redes sociais que ainda foram pouco exploradas, principalmente aquelas que oferecem ferramentas que permitam o uso de vídeos e imagens, vão explorar cada vez mais o mundo mobile, seja através de aplicativos ou programas inovadores, e investirão cada vez mais nos formadores de opinião, já que uma das principais características das redes sociais são a propagação de informação".

Mariane Sanefugi – Assistente de Atendimento e Coordenação

E para vocês, quais serão as tendências para as Mídias Sociais em 2013?

Como se portar nas redes sociais

Como se portar nas mídias sociais Já acompanhamos alguns casos de funcionários que foram demitidos por twittar sem pensar como o editor da revista National Geographic Brasil da editora Abril, que postou críticas a revista Veja em seu Twitter pessoal, além docaso da  Locaweb, na qual um diretor comercial foi demitido por ofender a torcida do São Paulo, time patrocinado pela empresa, em seu Twitter. Algumas organizações já estão cientes que o monitoramento de suas marcas na internet é essencial, porém os funcionários também devem saber qual a melhor forma de se portarem na rede.

Este alerta não vale apenas para grandes corporações, a internet é um lugar público, ou seja, o que você escreve no seu Twitter ou aquela foto que posta no seu Orkut pode ser visto por milhares de pessoas, então é necessário saber o que podemos ou não fazer em certos sites. Veja algumas dicas de como se portar nas redes sociais:

1. Cuidado com as fotos. Não é proibido criar álbuns no Orkut, Facebook ou Flickr, mas o bom senso é fundamental, evite fotos consideradas comprometedoras, se for colocar algo relacionado a empresa, verifique antes se você pode postar aquela imagem e se ela poderá de alguma forma constranger alguém.

2. Pense antes de Twittar. Para quem possui perfil no Twitter, essa é a dica principal, se você não gosta do seu chefe, está insatisfeito com sua empresa ou não concorda com as atitudes de algum colega de trabalho, o Twitter não é o lugar ideal para discutir isso. É necessário cuidado também com assuntos de caráter muito pessoal, ninguém precisa saber que você chegou bêbado da festa ou que não gosta de determinadas pessoas, guarde isso para uma conversa pessoal com seus amigos.

3. Essa dica é quase um clichê, mas é sempre bom reforçar. Se você está procurando emprego ou mesmo para quem já está trabalhando, cuidado com as comunidades e grupos dos quais participa. Algumas empresas podem encarar comunidades como “eu odeio acordar cedo” como brincadeiras, porém outras podem te achar um preguiçoso, pense bem nisso antes de participar.

4. Palavrões. Falar palavrão em uma roda de amigos pode ser comum, mas evite certas palavras em ambientes virtuais, principalmente no Twitter, pois se suas mensagens não são bloqueadas, todos poderão ver e isso poderá comprometer sua imagem.

5. Quando criar seu perfil no Twitter ou em qualquer outra rede social, pense primeiro se aquele será um perfil profissional para promover sua empresa ou um perfil pessoal. Existem algumas pessoas que utilizam o mesmo cadastro para as duas finalidades, não há nenhum problema nisso, é necessário apenas um pouco mais de cuidado na hora de postar suas mensagens, pois ao mesmo tempo que seus amigos acompanham seu perfil, seus clientes, colegas de trabalho e até mesmo seu chefe também. Por isso é interessante analisar se você consegue administrar esses 2 públicos em um único perfil ou a melhor alternativa é criar outro.

Essas são apenas algumas dicas, mas a principal é sempre usar o bom senso, pense que assim como aconteceu com esses dois profissionais, você também pode ser monitorado. É claro que ninguém precisa ficar com medo de postar alguma coisa e ser demitido, não é bem assim, se as redes sociais fossem censuradas, não poderiam ser chamadas assim. Lembre sempre que esses sites foram feitos para estabelecer interações e compartilhar informações, é necessário apenas filtrar o que deve ser compartilhado e o que deve ficar apenas para você.

Dez razões para sua empresa estar no Twitter

 

1. Encontrar novos usuários e clientes;

2. Criar uma rede de relacionamento;

3. Conseguir informações úteis: acesso fácil e rápido ao conhecimento;

4. Construir relações mais profundas com clientes, fornecedores e outros executivos;

5. Ampliar o alcance da sua marca;

6. Conseguir conselhos e sugestões de especialistas;

7. Conseguir mais visitas para seu site;

8. Promover o conteúdo do seu blog ou site;

9. Monitorar o que dizem sobre sua empresa na rede;

10.Realizar as nove vantagens acima sem nenhum custo.

Ferramentas úteis para o uso corporativo do Twitter

 

Muitas empresas já se renderam ao sucesso do Twitter e criaram seus perfis para manterem um relacionamento mais próximo com seus clientes e consumidores. Algumas ferramentas podem ajudar as organizações a utilizarem melhor essa rede e consequentemente obter resultados mais positivos:

Twitter Grader: funciona como um ranking. Quando você digita seu nome de usuário, ele o classifica com uma nota de 0 a 100 utilizando como base seu número de seguidores, atualizações e análise do seu perfil no geral. Por meio dessa ferramenta, as empresas podem avaliar se suas estratégias estão funcionando e se seu perfil na rede é realmente forte.

Tweet Tag: essencial para as empresas que se preocupam em monitorar o que estão dizendo sobre sua marca no Twitter. Por meio dessa ferramenta, você pode fazer uma busca por tags relacionadas aos mais variados assuntos e o resultado é mostrado de forma bastante organizada, diferente da ferramenta de busca que existe no próprio Twitter.

Twitter Hawk: importante para as empresas seguirem pessoas que se encaixam com o perfil do seu público alvo. Você digita sua localização e palavras que estão relacionadas com a área em que atua e o programa mostra diversos usuários com essas características. O serviço é pago, mas há a opção de fazer alguns testes gratuitos.

Bit.Ly: além de encurtar links para serem postados na rede, essa ferramenta também permite que você visualize algumas estatísticas como quantas pessoas clicaram nesse endereço e de que países elas são. É interessante para saber os assuntos que geram mais clicks e melhorar o acesso do seu perfil.

Tweet Beep: funciona da mesma forma que o Google Alertas, porém é específico para o Twitter. Com um cadastro simples você consegue saber cada vez que algum usuário cita o nome da sua empresa na rede. Ferramenta importante para evitar que possíveis comentários negativos sobre sua marca se tornem um problema maior por não terem sido respondidos.

O Twitter ainda possui outras inúmeras ferramentas e novos aplicativos são criados diariamente, agora basta escolher a estratégia que melhor se encaixa nas atividades desenvolvidas pela sua empresa. Não há como as organizações atuais ficarem fora das redes sociais.